quarta-feira, 6 de dezembro de 2017

Lar é o que vem dentro


























Estes dias estava fotografando com Luise pela minha cidade e paramos em frente a uma casa muito linda que tinha uma bicicleta vermelha estacionada. Durante o ensaio na frente da fachada, eis que aparece a dona do imóvel. 
Ela era uma Senhora muito simpática e achou interessante a gente estar fotografando ali fora e então nos convidou para conhecer a sua casa. No começo ficamos sem graça achando que seria talvez um incômodo, mas logo que entramos percebemos o quanto ela estava feliz com a nossa visita.

Ela foi mostrando os trabalhos artísticos que fazia e nos fazendo ler as plaquinhas que estavam espalhadas pela casa em que ela escrevia pequenos textos. E então fomos adentrando no seu mundo, ao seu íntimo que era o lar.



O lar é o que vem dentro das paredes, é o nosso íntimo, o nosso modo de ser. Nele estão as marcas da nossa história, que são os porta retratos, as marcas das paredes, as almofadas do sofá, até mesmo os arranhões da madeira, é o que resiste ao tempo.
Os objetos são os assessórios que representam as épocas, a moda que está e que passou, as nossas necessidades e o tempo. Sim, os objetos podem ter 30, 40, ou ate 100 anos, e alguns vem de outras pessoas que nem existem mais no mundo material.
Porém o lar é mais que isso. O lar carrega uma energia, é como se absorvesse a nossa personalidade. Quando o apresentamos a alguém, deixamos que esta pessoa sinta um pouquinho dos nossos sentimentos.

Atualmente estamos mudando tão rapidamente, trocamos os objetos o tempo todo, entra e sai pessoas na nossas vidas numa velocidade tão grande. É tudo tão moderno, tão perfeito que não existem marcas do que já fomos.

Eu gosto dos lares antigos, daqueles que tem um pouquinho de poeira no canto, ou um objeto fora da moda. Eu gosto dos lares que ao conhecer parecem que caminhamos numa linha do tempo. Eu gosto dos lares que combinam com o sentir, que me trás curiosidade em conhecer mais e mais de alguém, como eu conheci aquela Senhora. De longe ela nem parecia ter um grande talento, foi o lar que me mostrou o que ela era e o que tinha de especial.



Comente com o Facebook:

Um comentário:


Vinis e Outras Coisas - Copyright © 2014